para que serve spinning

Além de não exigir muita coordenação motora (basta sentar e pedalar), a aula de spinning é uma exterminadora de calorias. Testes feitos pela personal trainer Vivi Motta, de São Paulo, com profissionais do Laboratório de Nutrição e Metabolismo da Escola de Educação Física e Esportes da Universidade de São Paulo comprovam: em uma hora, as mulheres chegam a gastar 570 calorias – os homens podem perder 870. Ou seja: o equivalente a pular corda por duas horas ou caminhar durante quatro horas.

“Além de emagrecer e melhorar o fôlego, a modalidade enrijece pernas e bumbum. E o abdômen também se fortalece para sustentar o corpo na postura correta”, explica Vivi. Durante a aula, os alunos simulam percursos como subidas em montanhas, dão um gás nas retas e despencam morro abaixo em velocidade. A malhação é pesada, mas há truques que podem ajudá-la a chegar inteira até o final da trilha:

para que serve o spinning

6 maneiras para turbinar suas pedaladas
Professores revelam atitudes simples, mas muito eficientes, para melhorar a performance e proporcionar mais segurança durante uma sessão de spinning:

1. Usar frequencímetro
O aparelho serve para monitorar a frequência cardíaca durante a atividade física. “Assim, fica mais fácil queimar gordura porque o equipamento mostra se você está abaixo ou acima da chamada zona alvo, deixando o treino eficaz”, explica o professor Anderson Dias, de São Paulo. Algumas mulheres fazem spinning com o objetivo de emagrecer e não conseguem perder peso porque pedalam numa frequência muito baixa, sem atingir a zona de treinamento ideal.

2. Calçar sapatilha
A bicicleta de spinning tem um firma-pé para prender o tênis, mas usar uma sapatilha especial (a mesma utilizada por ciclistas), pode melhorar sua performance. “Esse calçado tem solado duro, o que garante a transferência da força da perna direto para o pedal, sem desperdício de energia”, afirma Anderson. “Se você fizer a aula usando um tênis, que tem a sola mais macia, a tendência é forçar o arco do pé. Isso pode causar desconforto ou até uma inflamação”, completa Laerte Sapucahy, do Rio de Janeiro.

3. Respeitar o cronograma das aulas
Periodização é como os professores chamam a programação das aulas. “Há sessões de montanha, em que você faz bastante força para trabalhar os músculos das pernas; as chamadas endurance, que priorizam a perda de gordura; e os treinos intervalados, para ganhar fôlego e melhorar o condicionamento físico”, diz Anderson. Ou seja: as aulas não são sempre as mesmas. Por isso, dá para pedalar todos os dias em intensidades diferentes.

4. Utilizar banco de gel ou bermuda acolchoada
Como você pedala sentada em vários momentos da aula, o bumbum costuma doer. Afinal, o banco da bike de spinning é bem estreito. Uma capinha de gel que encaixa no banco ou uma bermuda com proteção extra no bumbum são dois recursos que proporcionam mais conforto durante as pedaladas. “Muitas vezes, a aluna desiste não pelo exercício em si, mas pelo incômodo. Com esses acessórios, você consegue manter-se na atividade por mais tempo”, garante o professor Giba Ambrogi, coach de ciclismo da 5 Ways Coaching, em São Paulo.

5. Hidratar o organismo
Uma garrafinha com água ou isotônico vai ajudá-la a manter um bom rendimento. “O isotônico, além de evitar a desidratação, tem sais minerais e carboidratos, que auxiliam na reposição de energia, evitando a fadiga. Mas lembre que a bebida é calórica e quem quer perder peso não deve abusar dela”, revela o especialista em nutrição Carlos Simeão Júnior, de São Paulo.

6. Manter uma toalha por perto
É sempre bom deixar uma toalhinha de mão pendurada na frente da bike. “Muitas mulheres transpiram bastante e é importante secar as mãos. Do contrário, elas podem escorregar no guidão durante a aula”, alerta o professor Ricardo Azuma, da Velocity, em São Paulo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *